Posso oferecer comida para o meu cão? SIM! Mas com cuidado!

 

Quando falamos em oferecer comida aos cães, estamos falando
de comida natural, em uma dieta balanceada, nutritiva, suplementada e
muito saborosa preparada com ingredientes fresquinhos.


Esqueça restos de comida, muito dos alimentos que consumimos,
e também muito dos temperos que utilizamos em nossa comida podem
fazer muito mal aos cães, como por exemplo a cebola, que é um
alimento proibido por ser tóxico para os cães, podendo leva-los até ao
óbito.


Sabemos que a nossa saúde e qualidade de vida está diretamente
relacionada com a forma com que nos alimentamos e com o estilo de
vida que levamos e isso não é diferente com os cães.


A Nutrigenômica nos mostra que 10% das muitas doenças tem
fundo hereditário, enquanto 90% são resultados de alimentação, estilo
de vida e influências ambientais.


Assim como nós, o metabolismo de cada cão é único e cada um
reagirá de maneira diferente. Cada indivíduo precisará de nutrientes e
suplementação diferentes de acordo com suas necessidades específicas.
  Sabemos que muitos dos sintomas que afetam os animais de
estimação de hoje estão ligados à alimentação.


  Muitos dos alimentos comerciais são compostos por proteína de
baixa qualidade, transgênicos, conservantes químicos, sabores e cores
artificiais e óleos de baixa qualidade.


  Obesidade, alergias, problemas de pele, doenças do aparelho
digestivo, infecções crônicas dos olhos e ouvidos e várias doenças
degenerativas podem resultar de nutrição inadequada ou de baixa
qualidade.


Por que oferecer Alimentação Natural para seu Pet?

 

Quais os benefícios em oferecer uma dieta natural cozida caseira?

 

Alimentos úmidos como na alimentação natural cozida, tem em
média 70% de umidade, aumentam a ingestão de água de forma
involuntária promovendo a hidratação, além de apresentar alta
digestibilidade e palatabilidade.

 

Percebemos que cães que se alimentam de uma dieta natural
adequada, ficam mais dispostos, tendem a emagrecer (trocar gordura
por massa magra), a pelagem fica vibrante, diminuem a queda de pelos,
as fezes ficam menores, mais sequinhas e com menos cheiro e o
principal, os cães ficam muito felizes e super saudáveis.


É muito importante fazer o uso de prebióticos e probióticos antes
de passar o cão de uma dieta seca (ração) para uma dieta úmida
(comida), afim de evitar problemas gastrointestinais. Esses produtos são
encontrados formato de pasta, são palatáveis e os cães costumam
aceitar bem.


A dieta para cães adultos saudáveis é composta basicamente por
(35% a 40%) de proteínas origem animal, (5%) de vísceras, (25% a 30%)
de carboidratos, (30% a 35%) de vegetais, complementos e suplementos
vitamínicos.


Toda dieta por mais completa que seja precisa necessariamente
ser suplementada para que os cães não apresentem, no futuro, quadros
providos de deficiência nutricional.


Na categoria das proteínas, algumas permitidas são, ovos, carne
de boi, frango, porco, cordeiro, coelho, peru, pato e peixes, e vísceras
como fígado de galinha ou de boi.


Os vegetais mais seguros para o início da dieta são abobrinha,
chuchu e vagem. Berinjela e abóbora também são permitidas porém,
não nas primeiras semanas pois podem provocar fezes amolecidas.
Cuidado com folhas verdes escuras para animais que tenham pré-
disposição a formar cristais de oxalato de cálcio.


A categoria dos carboidratos é composta por tubérculos, grãos,
cereais e leguminosas, como inhame, batata doce, mandioquinha, arroz
parabolizado e quinoa que também são permitidos na dieta dos cães.
Para a suplementação da dieta existem produtos já prontos como
que podem ser manipulados separadamente em farmácias de
manipulação.

 

Também é importante suplementar com Vitamina D e
ômegas, no caso o óleo de peixe é necessário a orientação profissional.

 

Para saber quanto seu peludo vai precisar comer é simples, o
cálculo pode ser feito em cima do peso ideal do animal, basta seguir a
tabela abaixo.


Porte Miniatura I – (Até 3kg): média de 7% do peso ideal
Porte Miniatura II – (de 3 a 5kg): 5 - 6% do peso ideal
Porte Pequeno – (de 5 a 10kg): 4 - 5% do peso ideal
Porte Médio – (de 10 a 22kg): 4 - 5% do peso ideal

Porte Grande – (de 22 a 40kg): 3,5 – 4,5% do peso ideal
Porte Gigante – (40kg +) : 3,5 - 4% do peso ideal

 

Existem exceções como por exemplo, Border Collie, Bulldog Francês,

 

Doberman (6%), Chihuahua (8-10%), Labrador (3,5%), Pug e Spitz
Alemão (4%).

 

É interessante dividir a quantidade de comida do dia em 2 ou mais
refeições.

 

Para saber quanto servir para seu peludo é simples, basta fazer cálculo:

 

Peso X (% de acordo com as características do cão) = quantidade
de gramas por dia.

 

Ex: Cão de 10Kg – Porte médio
10 X (4%) = 0,4 = 400g de comida por dia

 

Alguns peludos vão precisar de dietas e cuidados especiais, como
por exemplo, em casos de convalescença, alergias alimentares,
cardiopatias, nefropatias, urolitíases, câncer, apetite caprichoso,
diabetes, osteodistrofias, obesidade, entre outras.

 

Por esse motivo é muito importante buscar uma orientação
nutricional para seu cão com um profissional especializado na área, pois
da mesma maneira que a dieta adequada pode favorecer a saúde do seu
cão, a dieta inadequada pode prejudicar muito a saúde do seu melhor
amigo.

 

 

Selo:
Para conhecer mais sobre alimentação natural para cães acesse o site
www.animalnatural.com.br
Instagram: @animalnaturaloficial
Facebook: animalnaturaloficial

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Posts Recentes

November 11, 2017

Please reload

Arquivo
Please reload

Procurar por tags