Testes Alérgicos para ambiente TECSA


    Os Testes Alérgicos oferecidos pelo TECSA se baseiam na Dosagem de IgE Específico, produzido pelos linfócitos B ativados após o contato com o alérgeno.

    É o contato destes alérgenos com os anticorpos IgE presentes nas membranas de mastócitos que levam à ativação destas células, gerando liberação de mediadores químicos que levam aos sinais clínicos de alergia nos animais.

    Sendo possível a realização do teste nas seguintes espécies: Canina, Felina e Equina.

    É possível mensurar os níveis destes anticorpos específicos através de testes sorológicos, sensíveis o bastante para identificar concentrações mínimas que podem ser prejudiciais ao animal.

    É interessante ressaltar que o teste dosa o IgE ligado ao mastócito, ou seja, a fração realmente ativa no processo de alergia.

    Não devemos confundir a dosagem de IgE com teste de provocação (intradérmico):

    A DOSAGEM DE IgE utiliza o SORO do animal, onde a reação de ELISAbusca por anticorpos IgE específicos para cada alérgeno.

    O teste de provocação insere proteínas misturadas de alérgenos sobre a pele do animal através de uma agulha, onde se mede o halo de inflamação gerado.

    A superioridade da sorologia se deve pela reação de ELISA, que é mensurada por aparelhos calibrados e direcionados APENAS para este fim, garantindo sensibilidade e especificidade (superiores à 93%) infinitamente superior à do olho humano ou qualquer método macroscópico, além disto, não existe desconforto para o paciente.

    Conseguir identificar o alérgeno específico que desencadeia o processo alérgico no animal é essencial para que o médico veterinário tenha sucesso no tratamento e na prevenção. Para realizar a análise o material biológico mais adequado é o soro congelado.

    O novo Teste ALLERCEPT da HESKA utiliza receptores IgE de alta afinidade presentes nos mastócitos (conhecidos como receptores Fcε1Rα), para detectar IgE específico contra o alérgeno alvo, proporcionando uma especificidade absoluta contra o IgE pesquisado, reduzindo os limites de detecção de IgE para menos de 10 picogramas de IgE alérgeno–específico na amostra avaliada, permitindo uma maior sensibilidade para a detecção de IgE.

    Isto torna o teste ALLERCEPT único e diferente de todos os outros testes de IgE disponíveis no mercado.

    Como resultado, o novo teste confirma a presença de IgE alérgeno-específico em algumas amostras que eram consideradas negativas em testes anteriores, além de novas hipersensibilidades à outros alérgenos poderem ser diagnosticadas.

    Os novos laudos apresentam resultados expressos em “Epsilon Receptor Binding Units” ou “ HERBU “. Uma pontuação de 11 HERBU ou maior confirma a presença de grande quantidade de IgE alérgeno-específico na amostra.

    Material a ser enviado:

    Sangue total 3,0 ml ou 1,0 ml de soro sem hemólise colhido em tubo de tampa vermelha.

    Manter em refrigeração 2 – 8 graus ou enviar o soro congelado.

    OBS: Em casos de pacientes submetidos à corticoterapia, recomenda-se interromper a administração deste medicamento (desmame terapêutico) e aguardar de 7 a 10 dias para a coleta do material.

    * 24 ALÉRGENOS (ácaros, saliva de pulga, fungos, árvores, ervas e gramíneas)

    Abaixo a tabela de alérgenos testados e seus nomes populares:

    Nome Científico

    Nomes Populares

    Blomia tropicalis

    ácaro doméstico de poeira

    Dermatofagoides farinae

    ácaro doméstico de poeira

    Dermatophagoides pteronyssinus

    ácaro doméstico de poeira

    Tyrophagus putrescentie

    ácaro de estocagem

    Acarus siro

    ácaro de estocagem

    Alternaria alternata

    fungo

    Aspergillus fumigatus

    fungo

    Penicilium notatum

    fungo

    Cladosporium herbarum

    fungo

    Malassezia pachydermatis

    fungo

    Saliva de pulga

    DAPP

    Mix de Baratas

    Cynodon dactylon

    pé-de-galinha, grama-tifton, capim bermuda

    Ambrosia artemisifolia

    carpineira, coravorana, cravo-da-roça, ambrosia americana

    Ligustrum vulgare

    Alfeneiro, alfenheiro ou alfena

    Pinus sp

    Pinheiros

    Acácia logifolia

    acácia, jurema

    Plantago lanceolata

    tansagem, língua de vaca, plantagem

    Artemisia vulgaris

    absinto, artemísia

    Rumex crispus

    Azeda-crespa, labaça-crespa, labaça-selvagem, paciência

    Acer pseudoplatanus

    sicómoro, sicómero

    Eucalyptus sp

    Eucalipto

    Melaleuca quinquenervia

    árvore do chá

    6 Grass Mix*


    FALE CONOSCO: clique aqui.

     

     

    © Animal Natural.                              

     

    contato@animalnatural.com.br                                  

     

     ENDEREÇO: Avenida do Estado 1540, Fundação, São Caetano do Sul, São Paulo. CEP: 09520-150 - Tel: (11) 4224-5139  /  Whatsapp: (11) 9 9610-0031

    • Facebook - Black Circle
    • YouTube - Black Circle
    • Instagram - Black Circle