Vitaminas para cães - Conheça a importância de manter os níveis de vitamina D3 para seu cão


Sabemos que a Genômica nutricional é quem estuda a interação dos genes com os alimentos (Nutrigenética) e também a interação dos nutrientes com os genes (Nutrigenômica). A partir daí descobrimos que a nossa saúde é totalmente dependente da nossa alimentação e nosso estilo de vida, se praticamos exercícios ou não.

Foi a partir da Genômica Nutricional que pudemos perceber que a vitamina D3 é a vitamina mais importante que existe, pois ela é necessária para o bom funcionamento de praticamente todos os sistemas do organismo.

Alguns pesquisadores, inclusive, defendem a classificação da vitamina D como hormônio.

Em nós, humanos, a exposição solar faz com que a pele de início a uma série de reações bioquímicas que culminam com a produção da vitamina D ativa (calcitriol).

Diferente de nós seres humanos e de algumas outras espécies, os cães não fazem a conversão da vitamina D3 pela exposição ao sol e assim por esse motivo, para alcançar a quantidade ideal de vitamina D3 que seu corpo precisa é necessária a ingestão dessa vitamina pela dieta e suplementação.

Os cães apresentam cerca de 20.000 genes funcionais e estima-se que cerca de 2.000 genes sejam controlados por níveis ideais de vitamina D3.

O organismo dos cães tem receptores de vitamina D3 em vários órgãos e tecidos como por exemplo, a mama, a próstata, as células cardíacas, o cérebro, o cólon e as células imunes. Por isso a vitamina D é extremamente importante para o organismo de seu pet no dia a dia.

Em cães, a vitamina D3 tem como principais funções reduzir a incidência de câncer, reduzir a incidência de doenças autoimunes, reduzir infecções, previne endocrinopatias e também fornecer suporte cardiovascular e renal.

É muito importante oferecer uma dieta adequada e com a suplementação correta de vitamina D3 para seu ‘amigo’, pois elas irão atuar de forma preventiva e/ou complementar aos tratamentos estabelecidos pelos médicos veterinários.

A maioria dos cães de hoje em dia, estão deficientes em vitamina D3, por esse motivo realizou-se um estudo com os alimentos comerciais que estão atualmente no mercado dos Estados Unidos e foi verificado que a maioria não apresentava níveis ideais de Vitamina D.

(Claire. R Sharp_1’, Kim A. Selting_2 and Randy Ringold3_)

Nesse mesmo estudo verificou-se diferenças notáveis entre os fabricantes e marcas de diferentes alimentos em relação aos níveis de vitamina D3 sugerindo que os níveis deveriam ser otimizados para reduzir a incidência de câncer e inúmeras outras doenças em cães.

(CLARIE R SHARP, 2015)

A deficiência em vitamina D3 também pode estar associada a inflamação gastrointestinal em cães, como monstra esse estudo publicado (10.1371/jornal.pone.0137377).

Já em outro estudo também realizado em cães observou-se que níveis ideias de vitamina D3 podem atuar na remodelação cardíaca em animais portadores de valvopatias. (TOSUGA,2015).

A vitamina D3 também tem papel importante no equilíbrio imunológico dos cães e seus níveis ideais podem tratar grande parte das doenças autoimunes.

É comprovado que apenas 5 -10% dos casos de neoplasias em cães são de origem genética, enquanto 90-95% dos casos de neoplasias são resultados da interação do estilo de vida do animal com os genes. (Broad Institute,2013).

Cerca de 40% dos casos de neoplasias podem ser prevenidos com dietas específicas e níveis ideiais de Vitamina D3. (Anand, 2008, Divisi, 2006, Donaldson, 2004, Hardy 2011, Ziech, 2010)

Nesse outro estudo, (HUSBANDA B, 2013) demonstrou importante correlação dos níveis de vitamina D3 com a incidência de inúmeras neoplasias como linfomas, hemangiosarcomas, carcinomas e sarcomas.

K.A. Selting e colaboradores demonstram forte correlação entre os níveis de vitamina D3 no soro e sua correlação com o desenvolvimento de câncer em cães, mostrando que os animais que apresentavam níveis ideais de vitamina D3 (100-120 ng/ml) apresentavam drástica redução na incidência de câncer. (K.A SELTING).

O calcitriol em altas doses tem poder de tratar mastocitoma, podendo promover a redução parcial como também redução completa do tumor. (MALONE,2010).

Os valores referência de vitamina D3 em cães são:

Deficiência: 0-30 ng/ml

Insuficiência: 30-100 ng/ml

Suficiência: 100-120 ng/ml

Risco de Intoxicação – acima de 150 ng/ml

A suplementação de vitamina D3 em cães deve sempre ser feita em conjunto com a vitamina K2 para potencializar os efeitos e reduzir os riscos de efeito colaterais, pois a vitamina K2 tem função de direcionar o cálcio no organismo regulando ainda a atividade osteoclásto e osteoblasto.

A vitamina D3 pode ser indicada para cães com dor crônica, asma, alergias, Diabetes tipo 2, doenças autoimunes, artrose, pacientes em estado crítico, com discopatias, depressão, insuficiência renal, hepatopatia e mitocondriopatias.

Diferente dos fármacos que atuam no controle das doenças a vitamina D3 tem o poder de agir na raiz do problema e sua deficiência nos cães pode aumentar o risco de algumas doenças, como: as doenças cardíacas, renais, doenças autoimunes, hipertensão, tumores, diabetes, demência, doenças infecciosas, doença inflamatória intestinal, artrite reumatoide, esclerose múltipla e doenças alérgicas, por esse motivo a vitamina D3 é tão importante na vida dos cães.

Lembre se que toda a suplementação deve ser feita com o auxílio de veterinário especializado em nutrição animal. Níveis exagerados de vitamina D3 podem levam a intoxicação podendo até mesmo matar o animal.

#vitaminaD #nutriçãodecães

FALE CONOSCO: clique aqui.

 

 

© Animal Natural.                              

 

contato@animalnatural.com.br                                  

 

 ENDEREÇO: Avenida do Estado 1540, Fundação, São Caetano do Sul, São Paulo. CEP: 09520-150 - Tel: (11) 4224-5139  /  Whatsapp: (11) 9 9610-0031

  • Facebook - Black Circle
  • YouTube - Black Circle
  • Instagram - Black Circle